sexta-feira, 11 de março de 2011

Comentário não enviado vira artigo! Como assim?

Um belo dia no site do diHITT encontrei um artigo que comentava sobre as dúvidas em aceitar ou não comentários anônimos. Como eu conhecia pouco do site resolvi comentar como anônima por puro medo de aparecer mesmo.
 Segue o tal comentário não enviado:
"Já passei pela situação de enviar comentários anônimos por pura falta de informação, mas, sempre usei esse recurso com respeito ao autor, e hoje vou fazê-lo usando esse recurso para me esconder mesmo rs.
Se me permite vou fugir um pouco do assunto por achar que ambos têm alguma relação.

Faço parte do diHITT a pouco tempo e lá conheci pessoas e site/blogs ótimos e que hoje acompanho, estou sempre convidando + amigos com a intenção de interagir mais e mais, achei que isso era normal por lá, ledo engano...

Fato estranho: mandei convite (no meu 1º dia no site) para um rapaz e recebi um recado seu querendo saber a URL (endereço) do meu blog ou site, ele se dizia muito metódico e só adicionava amigos nessas condições, eu como não tenho Blog e como boa taurina respondi com educação, mas a altura de seu (dele) enorme ego.

Eu não tenho blog nem site e não me envergonho por isso e blá blá blá...blá blá blá...

Mas o que isso tem a ver com o seu post sobre comentários anônimos?

Concordo que os comentários sem identificação tenham que ser moderados, mas parece que na “era da informática” e em um site tão legal estão moderando amigos, me senti discriminada.

Será que o tal rapaz acha que sendo metódico a esse ponto o seu blog vai “bombar” de seguidores e leitores?

E se a moda pega? Vou ter que parar de navegar? Ou será que para ter a amizade do rapaz  e outras tantas pessoas terei que criar um blog de péssima qualidade para engrossar a fila dos já existentes por aí? Isso não faz o meu tipo..."
  ********************** 
Nessa altura parei de escrever... Estava indo longe demais... Eu me conheço rsrsrs.

Graças ao meu bom senso que às vezes resolve aparecer eu parei de escrever e pensei: isso é maluquice, vou deletar e ficar na minha, ou seja não vou enviar isso.

Eis que surge a idéia, Ctrl + c / Ctrl + v, vou guardar esse texto para um dia (num futuro muito distante) postar no meu blog, se é que esse dia chegará. 


Pois esse dia chegou...

Hoje, juro nem lembrar mais quem era o cara metódico citado acima. A atitude dele na hora me fez ficar pra baixo, me senti diferente achando que só seria aceita naquela comunidade sob determinadas condições e eu não estava no momento a fim de cumprir essas condições, mas estava gostando e continuei lá... Sem blog e quieta no meu canto.

Quase um mês depois do acorrido encontrei o texto acima perdido nos meus arquivos.

E não é que o tal comentário que não enviei virou um artigo...

Promessa cumprida...

Será que isso foi mais uma das minhas teimosias? Nunca saberei a resposta... Mas se foi, que bom... Serviu para alguma coisa positiva, pois, criei este espaço sem pretensões de divulgá-lo ou me auto promover, muito pelo contrário, falei dele pela primeira vez por puro impulso (entenda melhor clicando aqui), e hoje após 24 dias de sua 1ª postagem, me sinto muito grata com 35 seguidores e 549 visitas (até esse momento).

Parece pouco para você?

Pois para mim significa: “SUPERAÇÃO”.

O certo é que quem me acompanha, lê e comenta meus artigos já deve ter percebido o meu empenho em enfrentar meus medos e este espaço tem me ajudado muito e devo isso ao apóio e incentivo de todos os leitores.

Um obrigada especial ao pessoal do diHITT que me acolheu com um enorme carinho.

       Andréa Ávila

4 comentários:

  1. Andréa, que texto maravilhoso e sincero. Fico cada vez mais feliz em fazer parte deste espaço. Pois assim como eu,muitas pessoas gostariam de se expressar sem serem identificados. E em muitos casos o anonimato nem é uma fuga ou falta de coragem, pode ser também respeito para com as pessoas que convivem conosco e que muitas vezes podem estão incluídas e retratadas em nosso textos.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Menina, estás cada dia mais doente, a síndrome do Blogueiro maluco a pegou de jeito!!! Ótimo texto!
    Ainda bem que não se deixou levar por pessoas no minimo chatas, com as quais convivemos, já que este é um espaço democrático. Mas quer saber de uma coisa, você é ótima e cada dia está melhor, o blog vai que vai, sua escrita é ótima, e você é muito boa pessoa. No fundo, é só isso que importa!
    GRANDES abraços deste seu amigo,

    ResponderExcluir
  3. Oi Luz e Sombra.
    Que bom que gostou do texto, e também estou feliz em dividir este cantinho (já coloque apelido) com você.
    É verdade...o anonimato ou quando as pessoas não colocam suas fotos e sim imagens para se identificarem nem sempre são compreendidos dessa forma, e como abordamos assuntos delicados acho perfeitamente normal essa atitude.
    Muito pertinente seu comentário.
    Um beijão.

    ResponderExcluir
  4. Olá Ademar.
    Você me fez rir com essa...
    Eu não conhecia essa síndrome mas adorei, e aos poucos essa doença de Blogueiro maluco está me dominando rsrssr, e o melhor é que ela está pelo menos amenizando minhas outras doenças, acho que estou no caminho certo.
    Obrigada pelos elogios mas, vindo de amigos é meio suspeito né...kkkkkkk
    Um beijão.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós.
Participe.